Apresentação

Viver na divina experiência do entusiasmo,

sempre em contato com a divindade que habita em nosso interior,

deixando-a expressar-se através de todas as nossas ações,

permitindo que essa glória extraordinária brilhe

e empreste seu esplendor a todo o nosso dia –

este é nosso tema, esta é nossa meta.


(Gurumayi da tradição Siddha Yoga)


UM CHAMADO NO ECLIPSE
Serra do Papagaio,
templo de araucárias,
início da caminhada.

A lua cheia no céu,
um eclipse, um chamado:
coração banhado de líquido luar.

No Matutu, o fincar de raizes.
A intenção de acolher
um espaço de gratidão transformadora

A natureza inspira:
no horizonte, a montanha;
aonde os pés toca o chão, o vale uterino.

Matutu acende na alma,
o desejo de plantar o amor
e devolver a terra o recebimento divino.

Oca Soma
Espaço abençoado
oca de círculos sagrados
uma sementinha de amor no coração do Matutu

A OCA
Ao lado da velha casinha de pau a pique
a cada manhã, uma glória à vida:
o canto dos passarinhos, o beijo do beija-flor
o piado, o mugido, o raio de sol da roça entrando pela janela;
o riso do povo mineiro, povo gentil.
Pés descalços na relva suave,
da terra que escuta e conclama:
para somar e fortalecer,
a energia da luz líquida da lua,
a beleza do Soma.

SOMA
Soma como luz líquida do luar, “amrita”,
Soma como o corpo físico
Soma de somar, unir, fortalecer…
a energia transformadora da deusa

 

voltar para a home